Segunda-feira, 16 de Abril de 2007

Cultura Popular: Veneno de Moriana

0001dpfk

 

   Pieter Bruegel, o Velho "The Harvest"

  

Veneno de Moriana

 

Apeita-te, ó cavalheiro,

Que hemos d´ir a merendar

Tu que tens, D. Eugénia,

Guardado para me dar?

Tenho vinho de há sete annos

Para t´o dar a provar.

Eu que sei, o D. Eugénia,

Será muito guardar!

Dá-me cá um cope d´elle,

Que ´inda t´o quero provar.

Lá no meio da bebida

Começou-se a agoniar.

Que me déste, ó D. Eugénia,

Que me fizo tanto mal!

Dei-te o sangue de cobra

Envolto c´um rosaigar;

Já que me enganaste a mim,

Outra não hás-de enganar.

Coitada da minha mulher,

Que fica sem seu marido;

Coitados dos meus meninos,

Que ficam o meu abrigo.

´Spira, ´spira, cavalheiro,

Acaba de suspirar,

Que eu ainda tenho dinheiro

P´ra tua morte pagar.

 

 

                    Recolhida em CARÇÃO por: Pe. Augusto Tavares em 1908

                    Publicada por: Tavares 1908 – 1910.

publicado por almocreve às 23:55
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Arruda a 17 de Abril de 2007 às 17:25
Boa tarde, Sr. Mestre!

A canção é fantástica
De Belchior Rodrigues a 17 de Abril de 2007 às 17:53
Boa tarde Almocreves!
a canção "Veneno de Moriana" é lindíssima, talvez cantada nos dias quentes de verão enquanto executavam as tarefas do campo como: a ceifa, a trilha, etc.
De Luis Filipe a 17 de Abril de 2007 às 19:58
Olá carçoneiros!
Bonito blogs
De busincha a 18 de Abril de 2007 às 13:28
Boa tarde, Almocreves!
Este romance é muito interessante.
Parabéns à associação.
De Anónimo a 19 de Abril de 2007 às 13:52
boa tarde, Almocreves!
Bonita página. esta cantiga é espectacular
bjs

Comentar post

Participa na Almocreve 2009

 

Contactos:

paulolopes78@hotmail.com

carcao@hotmail.com

.

.

.

.

.

Envie-nos fotos, artigos e outros...

paulolopes78@hotmail.com

hit counter

.pesquisar

 

.favoritos

. Algumas orações dos marra...

.links

.as minhas fotos

.arquivos

blogs SAPO

.subscrever feeds